Home » » Sede de Desejo

Sede de Desejo


Pois é...este era um encontro há muito pensado na mente de ambos!
A sedução que envolvia aquele que seria um momento de loucas e alucinantes sensações, estava perto de se tornar real..............
Depois de breves palavras resultantes de uma conversa que se adivinhava longa, deram asas ao desejo que pairava naquele canto da casa!
Ela já nem se lembrava como era boa a sensação de ser invadida pela língua trabalhadora que sempre que descia pelo seu corpo, fazia maravilhas.......e tudo começou assim!
As mãos...hummmm...as mãos dele, aquelas mãos embriagavam-lhe todos os sentidos!
Aquelas carícias, aquele toque fez soltar um gemido dolente...bruxeleante...avivando o corpo que cada vez mais se mostrava nu...
Aquelas mãos continuavam a explorar o corpo dela, acelerando o ritmo das batidas do seu coração...
Que sensação de bem estar...que necessidade de querer mais...sempre mais!
A sua voz aproximou-se do ouvido dela:
- Não tenhas vergonha!
Vergonha!!! Hahahaha...creio que ela não sentia vergonha mas sim uma enorme vontade de explodir...afinal aquela língua não parava de fazer maravilhas...já sem falar no sexo dele que se deixava adivinhar erecto!
A doçura com que aquelas palavras foram ditas, não poderam conter a força do primeiro beijo (na boca)...
O calor dos lábios, a sofreguidão das línguas...aquele (novamente) deslizar de mãos...o fogo abrasivo daquele beijo de lábios abertos e línguas irrequietas, fê-la gemer de novo...
Botão a botão deram asas à imaginação dentro daquelas quatro paredes. Naquele canto da casa tudo seria possível!
Finalmente penetrou-a devagar, para saborear o aconchego da carne húmida, apertada e quente!
Movimentou-se dentro dela...saiu...entrou...fizeram das suas sombras acrobacias quase impossíveis!
- Foi bom não foi? - perguntou ele ainda excitado.
- Foi bom mas quero mais! - respondeu ela (in)satisfeita.
- E quem disse que acabou???
E assim ofereceram o corpo mais uma vez e outra e outra e outra....
Aquele era, sem dúvida, o começo de uma longa noite...
Já era tarde quando ambos se deixaram adormecer...ainda de corpos fundidos...
Mas não pensem que a noite terminou aqui!!!
 
Support : Copyright © 2015. pura mente impropria - All Rights Reserved