Home » » Eu, tu e o vibrador... (capítulo I)

Eu, tu e o vibrador... (capítulo I)

O meu desejo aumenta a cada quilometro que faço... Estou cada vez mais perto do membro excitado que me aguarda.
Sensual, camisa de seda com decote profundo, o laço do soutien saliente, jeans justos, saltos finos bem altos... Nos lábios levo um bâton vermelho vibrante, o perfume hum... J´adore (Dior)...
Levo no íntimo um forte anseio, na mente o desejo de o devorar, na cona a humidade suficiente para que entre de uma só vez, vigoroso, em mim! Na mala um vibrador pronto a completar o nosso prazer.
Vou pedir que me foda como se não houvesse amanhã...

Depois de ávidas trocas de mensagens lá chego eu ao sítio combinado.
Estava bonito ele... Sempre delirei com o seu aspecto misterioso e muito malandro... Vestia uns jeans bem justinhos, precisamente os que mais gosto de lhe ver, uma t-shirt preta também ela justa que desenhava cada traço dos seus abdominais bem definidos e um casaco espectacular, cheio de estilo, preto de cabedal...
- Olá miúda, estás uma brasa! Até me sinto mal perto de ti...
- Deixa-te de tretas, tu já és bonito por natureza!
- Foda-se mas tu hoje estás...
- Obrigada! Onde vamos?
- Olha aquilo que te pedi para trazeres, não te esqueceste pois não?
- Não malandro, está na mala...
- Podes levar o teu carro? Estou com o de serviço que me identifica a léguas! E assim sempre te posso provocar enquanto conduzes...
- Queres vingar-te de algo que te fiz???
- Talvez...
Fomos beber um copo ali perto, nos arredores da cidade. Mal saí do carro o seu olhar colou-se fixamente em mim!
- Foda-se Inês estás mesmo uma pura provocação, estás com um aspecto tão apetecível! Deixas-me completamente louco da cabeça...
Eu sorria e ia agradecendo a simpatia! Tinha consciência que estava vestida de forma sexy e sentia-me sensualíssima!
Chegados ao bar, praticamente cheio, apenas uma mesinha estava vazia. Era uma mesa envolta por sofás chamativos que convidavam ao mais íntimo dos prazeres, num cantinho bem acolhedor!
Senti-me observada, desejada por olhares sedentos que acompanharam todos os meus movimentos ao atravessar o dito bar em direcção àquela mesa! Senti-me segura, poderosa, muito mulher!
Sentados lado a lado, demos início à mais louca sedução. Bar cheio e depois das bebidas pedidas, começaste por pedir-me um beijo...
- Inês tu deixas-me nervoso, só te sei desejar... estás linda miúda! Apetece-me fazer loucuras contigo, prepara-te para teres uma noite inesquecível! Vou-te dar tanto prazer...
Sentia-te ofegante, com uma incontrolável vontade de me possuíres ali mesmo. Senti o toque dos teus dedos no meu decote, o deslizar profundo da tua volúpia... Desapertaste-me os botões das calças disfarçadamente e foste enterrando uma mão dentro delas...
Inclinei o pescoço, coloquei-me à mercê da tua boca e deixei que me desses a tua língua, a tua saliva noutro beijo avassalador!
A dimensão da nossa excitação era imensa, o cheiro da minha humidade invadia os teus dedos agora na minha boca, a minha mão quis tocar-te e senti-te incrivelmente teso! Apertei o teu sexo protegido pelas calças, justas, e adorei aquela sensação de te sentir em completo delírio...
- Podias ter vestido umas calças mais largas, estás tão grande... onde vais meter todo esse material?
- Queres mesmo que te diga?
- Hum hum...
- Na tua boca, na tua cona e no teu cu!
Aquelas palavras ditas de forma tão peculiar foram o culminar do prazer que sentia no corpo, desejei naquele mesmo instante sair do bar rapidamente.
Apertei os botões das calças apressadamente o que não impediu que o teu colega não olha-se e sorri-se para nós! Sempre o achei competente, apesar de excitado com todo aquele aparato é, sem dúvida, um grande profissional da noite! E claro está, viu, gostou, sorriu e calou!
- Até outro dia Inês, volta, serás sempre bem vinda!
- Obrigada pela gentileza...
Reparei que trocaste algumas palavras com ele antes de saíres e sorri quando imaginei a dimensão das mesmas...
Entrámos no carro...
- Ouve lá, o que falaste com o teu colega? Sim sou curiosa, quero saber! Ele apercebeu-se de tudo o que fizemos lá dentro!
- Disse que és um pedaço de mulher e estava com dor de cotovelo...
- Hahahahaha... ok ok! Vocês homens não mudam! Todos iguais!
- Vá, arranca... não consigo estar muito mais tempo sem me enterrar em ti!
Entrámos novamente na auto estrada, em direcção ao quarto de hotel já reservado...
- A tua mala? - perguntaste com sorriso safado.
Olhei-te com ar de malícia, estavas louco para te vingar da tortura de uma outra viagem ... Senti-me pulsar só com a ideia de em plena auto estrada, a conduzir, ser invadida por um vibrador em movimentos repetidos, conduzidos por uma mão ágil e sôfrega como a tua!
Senti-me escorrer, louca de tesão, olhava-te... estavas igual a mim...
A respiração ofegante, o ver-te a preparar aquele dildo delicioso e apetecível, pronto para me invadir, a aproximação das tuas mãos dos botões das minhas calças, o teu pénis desnudado, os primeiros gemidos em uníssono, a minha mão que te esfregava, o vibrador agora metido em mim!
Abri um pouco o vidro, estava a ferver, minuto após minuto a excitação aumentava mais e a resistência deixava-me sem forças para conduzir um carro em plena auto estrada!


Continua um dia destes... num qualquer quarto de hotel...
 
Support : Copyright © 2015. pura mente impropria - All Rights Reserved