Home » » A fúria de um desejo

A fúria de um desejo


A vontade de te possuir era maior que tudo...
Lembro-me das tuas mãos a subir sobre mim, dos teus dedos húmidos, da tua boca sedenta, do teu sexo que me chamava, da loucura que me descontrolada os sentidos, da volúpia que despertava em mim vontades mais perversas e violentas!
Lembro-me da perfeita ligação entre a sedução e o encanto, da mistura dos olhares penetrantes que dançavam à nossa volta!
Lembro-me ainda dos jogos quentes que aumentavam a excitação do momento...

Vestia um modelo arrojado para uma festa especial. Um vestido preto, comprido, com decote muito profundo que me moldava o corpo... No seu interior, uma lingerie de malha acetinada, também de cor preta, que combinava desejo com imaginação... e assim te seduzi!
Senti por ti uma atração imediata e inexplicável que despertou o meu desejo sexual. A circulação sanguínea aumentou e a vontade de te possuir tomou conta de mim!
Estava a adorar exibir-me para ti, excitada, molhada, de sexo depilado, louca de tesão!
O teu corpo era fogo de desejo, o meu denunciava o prazer. Olhei-te uma vez mais nos olhos e decidi naquele preciso momento realizar todas as tuas fantasias de "voyeur"...
Aquele momento selou o culminar para um longo e prolongado êxtase de expressões de prazer... de olhares cada vez menos discretos que despertavam posições mais sugestivas e estonteantes.
Invadi-te o corpo com as mãos, lambi-te freneticamente, e com um simpático sorriso, deitei-te no sofá.
O teu dildo encostado ao meu sexo, hummmm, aqueles gemidos repetidos, os mamilos saídos, as mãos inquietas...
Afastei as minhas pernas e convidei-te a entrar!
Não resisti a fazer-te um elogio "tens um corpo fantástico", tu agradeceste ao mesmo tempo que acabaste de retirar a pouca roupa que ainda te cobria o corpo escultural.
Agarrei-te com força, rocei-me em ti, puxei violentamente a minha tanga e sem qualquer lubrificante controlei a situação... Nada deixei escapar!
Tinha agora dentro de mim o teu sexo inchado e bastante dotado o que despertava ainda mais a minha libido... ai ai... estavas prestes a conhecer o meu lado mais ousado e sensual...
Senti-te todo em mim, com força, com loucura, com vontade... Eu não parava de te pedir mais e mais, soltando gritos, gemidos que quase me deixavam sem folêgo.
Pedi-te que me virasses, que me colocasses de joelhos no sofá para que eu pudesse ficar cada vez mais excitada e louca. As tuas mãos apalpavam as minhas mamas, as minhas puxavam o teu traseiro contra o meu corpo agitado. Queria ser penetrada por ti, por "ele" enorme e húmido... penetrada violentamente, freneticamente... de respiração ofegante e uma vontade incontrolável de repetir cada grito, cada espasmo, cada gesto de prazer.
Lembro-me que estava a adorar aqueles movimentos velozes, que tanto me enchiam de prazer.
Pedi-te para trocar de posição novamente. Desejava agora olhar-te de frente, mimar-te, sussurrar-te ao ouvido o quão excitada estava!
Mordi-te uma orelha, desci sobre ti, dominei-te com rapidez, com a minha boca que se abria, que te pedia, que te queria...
Estavas desejoso para sentir a minha boca quente e molhada... Cedi ao teu desejo e com o corpo a ferver iniciei-me devagar, somente lambendo o pontinha do teu sexo. Adorei o teu sabor, o deslizar constante sobre o teu dildo firme, grosso, maroto, agora completo dentro da minha boca! Chupei-te à velocidade que o meu desejo pedia, ansiosa por receber o auge do teu prazer!
Escassos minutos depois, recebi a prova do teu limite. Um líquido que me fervia na boca... intenso, expesso, pleno de desejo!
 
Support : Copyright © 2015. pura mente impropria - All Rights Reserved